A Rússia recrutou participantes suficientes para seu teste em grande escala da vacina para a covid-19, conhecido como estudo da fase três, disse nesta segunda-feira (14) o chefe do fundo soberano da Rússia, que está financiando a vacina. "Em apenas duas semanas, 55 mil voluntários já foram recrutados em Moscou", disse Kirill Dmitriev, chefe do Fundo Russo de Investimento Direto. A Rússia começou a recrutar voluntários para o que foi anunciado como 40 mil testes da fase três em 26 de agosto. Os resultados iniciais são esperados para outubro ou novembro deste ano, disseram as autoridades.   Fonte: https://noticias.r7.com/saude/russia-conclui-recrutamento-de-voluntarios-para-teste-de-vacina-14092020...

A Comissão Europeia anunciou nesta quarta-feira um acordo para reservar 200 milhões de doses da potencial vacina contra a covid-19 desenvolvida pela aliança Biontech-Pfizer, grupos alemão e americano, com uma opção de 100 milhões de doses adicionais. Ursula Von der Leyen, presidente da Comissão, afirmou em uma nota que "nossas possibilidades de desenvolver uma vacina segura e eficiente nunca foram tão elevadas". Este é o sexto acordo do tipo anunciado pela UE, que já assinou entendimentos similares com a Sanofi-GSK, Johnson & Johnson, Curevac, Moderna e AstraZeneca. A comissária europeia da Saúde, Stella Kyriakides, expressou em um comunicado seu otimismo "de que entre...

A vacina da Rússia para a Covid-19 não teve efeitos adversos e induziu resposta imune, indica um estudo com resultados preliminares publicado na revista científica "The Lancet", uma das mais importantes do mundo, nesta sexta-feira (4). Os cientistas russos reconheceram a necessidade de mais testes para comprovar a eficácia da vacina. Chamada de "Sputnik V", a imunização foi registrada no mês passado na Rússia, mas a falta de estudos publicados sobre os testes gerou desconfiança entre a comunidade internacional. No Brasil, o governo do Paraná firmou uma parceria para desenvolver a vacina russa e, nesta sexta (4), informou que o pedido de...

Os resultados da última fase de testes da vacina da americana Pfizer contra o novo coronavírus devem sair já no começo de outubro, segundo o presidente da empresa Albert Bourla. A vacina da Pfizer, que tem como base o RNA mensageiro, tem como objetivo produzir as proteínas antivirais no corpo do indivíduo. Com a injeção, o conteúdo é capaz de informar as células do corpo humano sobre como produzir as proteínas capazes de lutar contra o coronavírus. A última fase de testes da proteção ainda está acontecendo e já foi realizada com 23.000 voluntários com idades entre 18 e 85 anos. Desse...

A farmacêutica francesa Sanofi disse nesta quinta-feira (3) que iniciaria testes em humanos da vacina potencial contra o coronavírus, desenvolvida com a empresa britânica GSK, após testes preliminares com resultados promissores. O lançamento dos testes de fase 1 e 2 representam uma "etapa importante e mais um passo para o desenvolvimento de uma vacina potencial para nos ajudar a vencer a Covid-19", disse o vice-presidente executivo da Sanofi Pasteur, Thomas Triomphe. A vacina à base de proteína, de propriedade da Sanofi e usada para tratar a gripe, foi combinada com um complemento desenvolvido pela GSK, conhecido como adjuvante, que aumenta a resposta...

Duas vacinas chinesas já foram aplicada em centenas de milhares de pessoas, a partir de um protocolo de emergência na China, e até agora nenhum dos pacientes apresentou efeito colateral grave nem foi infectado pelo novo coronavírus. É o que afirma uma porta-voz do China National Biotec Group (CNBG), órgão do governo chinês responsável pelo desenvolvimento das vacinas. As informações são do jornal South China Morning Post. “Centenas de milhares de pessoas receberam doses das vacinas, e ninguém mostrou nenhum efeito colateral ou foi infectado pelo vírus”, declarou Zhou Song, secretária da comissão de inspeção da China National Biotec Group, nesta segunda (7), à China...

A desenvolvedora de vacinas americana Novavax anunciou segunda-feira que chegou a um acordo de princípio com o Canadá para fornecer 76 milhões de doses de sua vacina experimental contra o coronavírus ao país. A empresa disse que espera finalizar um acordo para fornecer doses ao Canadá “já no segundo trimestre de 2021”. O acordo depende de a vacina obter uma licença da Health Canada, disse a empresa. As ações da Novavax fecharam mais de 2% em alta. A vacina da empresa, chamada NVX-CoV2373, está atualmente na fase dois de testes. Ele já havia dito que poderia começar os testes de estágio final já em outubro.  “Estamos avançando com...

TÓQUIO (Reuters) - A Daiichi Sankyo Co informou nesta segunda-feira que sua candidata a vacina para Covid-19 baseada em RNA mensageiro (mRNA) foi selecionada para inclusão em um programa de descoberta de medicamentos pela Agência Japonesa de Pesquisa e Desenvolvimento Médico. A vacina, conhecida como DS-5670, foi escolhida para a segunda rodada do programa dedicado à pesquisa sobre Covid-19. A Daiichi Sankyo pretende iniciar os estudos clínicos da vacina por volta de março de 2021, em colaboração com a Universidade de Tóquio.   Fonte: https://www.msn.com/pt-br/noticias/mundo/vacina-da-daiichi-sankyo-para-covid-19-%C3%A9-selecionada-por-programa-japon%C3%AAs-de-pesquisa/ar-BB18y6ic?ocid=msedgdhp...

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta quinta-feira (27) que seu país terá uma segunda vacina contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) já disponível no mês de setembro. “Haverá outra vacina pronta em setembro. O medicamento está sendo desenvolvido pelo famoso Instituto Vektor de Novossibirsk [Sibéria]”, disse o mandatário em entrevista à emissora “Rossiya 24”. Ao ser questionado se essa nova imunização competirá com a outra vacina desenvolvida no país, a Sputnik V, Putin afirmou que ambas “competirão entre si” e que tem certeza que essa “será tão eficaz quanto a primeira”. Assim como ocorreu com a Sputnik V, o presidente só informou...

Compostos de medicações que foram usadas durante a epidemia do sars em 2002 podem funcionar também contra a covid-19, segundo um estudo feito pelo Instituto de Pesquisa Médica Walter e Eliza Hall, na Austrália. Os compostos encontrados pelos cientistas conseguiram inibir o vírus da sars, outra variante do coronavírus, e evitar que o SARS-CoV-2 (da covid-19) crescesse em laboratório. Nenhum medicamento específico foi identificado como bloqueador dessa proteína. Os pesquisadores descobriram, ao analisar dados sobre medicamentos, que alguns compostos utilizados na epidemia do coronavírus de 2002 podem bloquear uma proteína chave dos coronavírus, chamada de PLpro — essencial para que o vírus se multiplique em células...