Depois de analisar 65 drogas - muitas já usadas para tratamentos de diversas doenças - por meio de testes em culturas de células vivas (in vitro) e simulação computacional, um grupo de pesquisadores de diferentes instituições brasileiras descobriu quatro novidades que podem ser promissoras contra a covid-19. As duas com melhores resultados são o brequinar, que está em fase de teste para a leucemia, e o acetato de abiraterona, utilizada para o câncer de próstata. As outras duas, o extrato de Hedera Helix, um fitoterápico utilizado para tratar os sintomas de infecções respiratórias, e a Neomicina, um antibiótico muito conhecido, empregado...

A farmacêutica americana Pfizer anunciou nesta sexta-feira a assinatura de um contrato com a Gilead Sciences para poder fabricar e distribuir o antiviral Remdesivir, que vem sendo utilizado nos Estados Unidos como tratamento para doentes com covid-19 em estado grave. A Pfizer vai fornecer seus serviços nas instalações da companhia na cidade de McPherson, Estado do Kansas, para fabricar e fornecer o Remdesivir para a Gilead. O antiviral recebeu uma autorização de emergência da agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos (FDA - Food and Drug Administration) como tratamento para pacientes com covid-19, mas não foi formalmente aprovado pelo órgão regulador.   Fonte: https://valor.globo.com/empresas/noticia/2020/08/07/pfizer-e-gilead-se-unem-para-fabricar-remdesivir-utilizado-no-tratamento-da-covid-19.ghtml...

O Fundo de Investimento Direto da Rússia (RDIF) anunciou nesta segunda-feira (03/08) que fechou um acordo comercial com as empresas boliviana Sigma Corp, e africana 3Sixty Biopharmaceuticals, para exportar o antiviral Avifavir utilizado no combate contra o novo coronavírus. Segundo a agência de notícias Sputnik, o medicamento será fornecido com um "mínimo de 150 mil unidades" para Argentina, Bolívia, Equador, El Salvador, Honduras, Paraguai e Uruguai através da empresa boliviana. Além disso, a Bolívia receberá a tecnologia necessária para a produção do medicamento final. De acordo com Kirill Dmitriev, diretor-geral do RDIF, os parceiros receberão a tecnologia para cortar os "custos logísticos e os...

Nova Délhi, 29 jul (EFE).- A empresa farmacêutica indiana Hetero Drugs anunciou nesta quarta-feira(29) o lançamento nacional do medicamento antiviral Favipiravir para o tratamento de sintomas leves e moderados da covid-19, após ter sido aprovado pelas autoridades de saúde. O medicamento, que será comercializado sob o nome de Favivir, "é um antiviral oral que demonstrou resultados clínicos positivos", e que "facilita a acessibilidade ao tratamento para um número significativo de pacientes com covid-19, com sintomas geralmente leves a moderados", disse a empresa em comunicado. A Hetero Drugs, uma das principais empresas farmacêuticas genéricas da Índia, obteve no início do mês a aprovação para...

O órgão executivo da União Europeia anunciou nesta quarta-feira que assinou um contrato com a Gilead para adquirir o medicamento remdesivir, que tem sido usado no tratamento da covid-19, e o acordo cobrirá 30 mil pacientes no bloco a partir do início de agosto. "A Comissão assinou um contrato com a empresa farmacêutica Gilead para garantir doses de tratamento de Velkury --nome comercial do remdesivir. A partir do início de agosto, remessas do medicamento estarão disponíveis para os Estados-membros e para o Reino Unido", disse a porta-voz da Comissão Europeia Dana Spinant em briefing regular à imprensa. Ela disse que o contrato...

O Canadá autorizou, nesta terça-feira (28), o uso do antiviral remdesivir em casos graves de pacientes com a COVID-19. "O remdesivir é a primeira droga que a Agência de Saúde do Canadá autoriza para o tratamento da COVID-19", informou a pasta da Saúde. Pelo menos dois grandes estudos nos Estados Unidos demonstraram que esse medicamento pode reduzir o tempo de internação de pacientes com o novo coronavírus. Washington autorizou em 1º de maio o uso do antiviral em casos de emergência, originalmente usado para o tratamento do Ebola. Vários países asiáticos seguiram o mesmo caminho e autorizaram o uso da droga, incluindo o...

Ao menos nove países que desenvolvem uma vacina para o coronavírus Sars-Cov-2 já testam em humanos, segundo a atualização mais recente da Organização Mundial da Saúde (OMS). Mas apenas o Reino Unido, a China e os Estados Unidos chegaram à terceira e última etapa. Segundo a agência de saúde da ONU, até segunda (27), são 164 pesquisas em desenvolvimento. Destas, 25 já em estágio clínico mas apenas cinco na Fase 3. É somente depois desta prova, em um número maior de participantes, que uma vacina pode ou não ser licenciada e liberada para a comercialização, veja quais são: Sinovac (China) Instituto Biológico de Wuhan/Sinopharm (China) ...

A Moderna anunciou nesta segunda-feira (27) que começou o estudo em estágio avançado para avaliar sua candidata a vacina contra Covid-19. Essa é a terceira e última fase de testes. Cerca de 30 mil voluntários adultos que não tiveram a doença respiratória causada pelo novo coronavírus receberão a vacina. A pesquisa é apoiada pelo governo dos Estados Unidos. Em todo o mundo, cinco candidatas à vacina estão na fase 3 de estudos, de acordo com um balanço da Organização Mundial de Saúde (OMS). É somente depois desta prova, em um número maior de participantes, que uma vacina pode ou não ser licenciada e liberada...

Um grupo de cientistas americanos conseguiu identificar 21 medicamentos desenvolvidos para tratar outras doenças e que podem ajudar no tratamento da covid-19. Todos impedem que o Sars-CoV-2 se dissemine em células humanas. No trabalho, publicado na última edição da revista britânica Nature, os investigadores também observaram que quatro desses compostos funcionam sinergicamente com o remdesivir, um antiviral que já vem sendo testada contra o novo coronavírus. Para chegar às drogas promissoras, a equipe analisou uma das maiores coleções mundiais de medicamentos, com cerca de 12 mil moléculas, sendo mais de 100 conhecidas pela atividade antiviral. Testes laboratoriais mostraram 21 com potencial para...

Uma das vacinas americanas em desenvolvimento contra o novo coronavírus, desenvolvida pela empresa Moderna, apresentou resultados positivos no primeiro teste em humanos, segundo estudo publicado no New England Journal of Medicine, na terça-feira (14). A 'mRNA-1273', como foi chamada a vacina, não apresentou qualquer tipo de sinal de alerta com relação à segurança para uma ampliação da testagem e avançou para próximos estágios na produção. Foram aplicadas doses escalonadas da vacina, em duas datas separadas por 28 dias. Os 45 pacientes, com idades entre 18 e 55 anos, foram acompanhados semanalmente pela equipe médica. Todos eles apresentaram anticorpos que neutralizam a Sars-CoV-2. Estes anticorpos são criados...