24 de Maio-Dia Mundial do "Queridinho" – O Café ! Delicie-se aguçando seus 05 sentidos…


Café na xícara

Dia Mundial do Café – Suas MULTIFACETAS !

Nos últimos dois séculos, poucas substâncias foram tão clinicamente estudadas como o café, sem nenhuma comprovação de que seja prejudicial à saúde. Muitos estudos demonstram o contrário, ou seja, os efeitos benéficos do café e de seu principal composto ativo, a cafeína. Por volta do século XVI, os sábios sufistas do Iêmen bebiam café para se manterem acordados durante a oração. Quando, no início do século XVII, o café começa a ser difundido na Europa, é quase considerado um medicamento.
A Cafeína, descoberta em princípios do século IX na Alemanha pelo jovem médico Ferdinand Runge, num encontro com Johann Wolfgang Goethe. A Cafeína não tem sabor, pode ser detectada por um leve amargor e é encontrada no café, chá (Matte principalmente), no chocolate, nas bebidas á base de cola e no guaraná.
O Café é um produto que contém em torno de 1500 componentes químicos. Estudar o café significa aproximar-se da genética, da agronomia, da botânica, da física, da matemática, da química, da bioquímica, da biologia, da engenharia, da fisiologia e da psicologia. Alguns estudos sugerem que, uma xícara de café:
** Auxilia na prevenção e incidência de retorno de vários tipos de câncer, tais como o de Cólon; Próstata e Mama; * Estimula o sistema nervoso central: Ajuda á memória agindo preventivamente contra o Alzheimer e Parkinson;  Acalmar os sintomas da Enxaqueca;  Mantém a atenção e o humor; Ajuda na respiração e na digestão – o que pode ajudar nas dietas de emagrecimento atenuando a sensação de fome; Estudos recentes demonstram que, se consumido em doses razoáveis, o café não afeta o sono nem prejudica o coração; * Muito usado em Dermatologia,  contém também substâncias antioxidante que contribuem para eliminar os radicais livres e favorecer o fluxo sanguíneo.
Em suma, esse “queridinho” mundialmente admirado, consegue reunir saúde e prazer em um único produto: Confira os 05 sentidos !
 

 Café cheiro

* Olfato: As primeiras ondas de aroma são liberadas quando o café atinge os 80°C e se mistura para permitir que o perfume, atravessando a cobertura de creme, se misture ao ar. São notas frescas e leves de flores e frutos, dentre eles o jasmim e a amêndoa. Uma segunda onda chega depois de prová-lo, quando a percepção do olfato detecta aromas mais fortes como a manteiga, o pão quentinho ou o chocolate. É o que geralmente se denomina de “sabor”.
* Paladar: A temperatura ideal para a degustação é de aproximadamente 65ºC. É preferível não acrescentar açúcar para não alterar o sabor, já que o espresso perfeito tem um equilíbrio exato de notas doces, amargas e ácidas. Um pequeno gole é suficiente para apreciar a sua plenitude.
* Tato: Somado ao aroma, o “corpo” distingue o espresso de qualquer outra preparação e oferece uma agradável sensação de cremosidade e suavidade aveludada.
* Audição: Um expresso é comparado à frequência a uma peça musical, metaforicamente, embora composta por notas aromáticas. Ao se concentrar na sensação de harmonia proporcionada pelo espresso, é possível “ouvir” o café. Cada um se identifica com um tom diferente.
* Visão: Um espresso perfeito é reconhecido de imediato. A xícara de porcelana branca emoldura o creme: uma delicada camada em tons de avelã, entrecortada por finas estrias avermelhadas.  Se o creme é castanho-escuro, com pontos brancos ou com um buraco no meio, há algo de errado: o tempo de extração foi longo demais, o café foi moído muito fino, ou tanto a temperatura quanto a pressão estavam altas. Em condições contrárias, o espresso apresenta um creme claro e inconsistente.

Curiosidade: A preparação do café espresso combina sabor acentuado com menor teor de cafeína. Entre os blends, os que são 100% Arabica têm um teor médio de cafeína em torno de 1,3%, ao passo que o café Robusta tem quase o dobro.

 

Fontes: http://www.illy.com|wps|wcm|connect/pt/coffee/beneficios-do-cafe;
http://www.bolsademulher.com/beleza/truque-da-borra-de-cafe-que-acaba-com-a-celulite-aprenda-a-fazer

Não há comentários

Faça um comentário