O que todo mundo quer saber é quando uma delas vai ficar pronta para que a gente possa finalmente deixar essa pandemia para trás. A Rússia parece querer chegar na frente nessa corrida. O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou esta semana que foi feito o registro que confirma a aprovação de uma vacina desenvolvida no país e que pretende começar a vacinação em massa, já no mês de outubro. O problema é que a vacina criada em Moscou só passou pela primeira fase de testes, em que é verificada a segurança, segundo a OMS. Faltaria ainda a segunda etapa, em que é verificada...

Novos testes realizados com a vacina BNT162b1, desenvolvida pela farmacêutica americana Pfizer com a empresa de biotecnologia alemã BioNTech, mostraram que o composto sorológico induziu uma resposta imunológica considerada “robusta” e sem efeitos colaterais para adultos entre 18 e 55 anos no combate ao coronavírus. Os resultados dos testes clínicos foram publicados nesta quarta-feira (12) na revista Nature. Eles referem-se às fases 1 e 2 de testes clínicos e, por isso, não podem ser utilizados para medirem a eficácia da vacina contra covid-19. Isso acontece somente na terceira fase de testes, que ainda não foi iniciada. Mesmo assim, as avaliações mais recentes feitas com 45 pessoas, sendo 23...

A Rússia se tornou hoje o primeiro país a registrar oficialmente uma vacina contra o coronavírus e declará-la pronta para uso, apesar do ceticismo internacional. O presidente Vladimir Putin disse que uma de suas filhas já foi vacinada. Putin ressaltou que a vacina passou pelos testes necessários e se mostrou eficaz, oferecendo imunidade duradoura ao coronavírus. No entanto, cientistas nacionais e internacionais têm alertado que a pressa em começar a usar a vacina antes dos testes da fase 3 —que normalmente duram meses e envolvem milhares de pessoas— pode ser um problema. Esse teste, que exige que um certo percentual de participantes pegue o...

A FDA, agência americana que regula medicamentos, aprovou a primeira terapia genética capaz de reverter um tipo de cegueira. A terapia celular chamada comercialmente de LUXTURNA (voretigene neparvovec), da empresa americana Spark Therapeutics, será indicada para um tipo de doença hereditária da retina que provoca uma progressiva perda da visão a partir da infância ou adolescência, e acaba levando à cegueira total. Acredita-se que nos Estados Unidos, cerca de 1.000 a 2.000 pessoas apresentem a mutação. A nova terapia, que é a primeira aprovada no país para uma doença genética da retina, age corrigindo diretamente nas células da retina uma mutação...

Depois de analisar 65 drogas - muitas já usadas para tratamentos de diversas doenças - por meio de testes em culturas de células vivas (in vitro) e simulação computacional, um grupo de pesquisadores de diferentes instituições brasileiras descobriu quatro novidades que podem ser promissoras contra a covid-19. As duas com melhores resultados são o brequinar, que está em fase de teste para a leucemia, e o acetato de abiraterona, utilizada para o câncer de próstata. As outras duas, o extrato de Hedera Helix, um fitoterápico utilizado para tratar os sintomas de infecções respiratórias, e a Neomicina, um antibiótico muito conhecido, empregado...

A farmacêutica americana Pfizer anunciou nesta sexta-feira a assinatura de um contrato com a Gilead Sciences para poder fabricar e distribuir o antiviral Remdesivir, que vem sendo utilizado nos Estados Unidos como tratamento para doentes com covid-19 em estado grave. A Pfizer vai fornecer seus serviços nas instalações da companhia na cidade de McPherson, Estado do Kansas, para fabricar e fornecer o Remdesivir para a Gilead. O antiviral recebeu uma autorização de emergência da agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos (FDA - Food and Drug Administration) como tratamento para pacientes com covid-19, mas não foi formalmente aprovado pelo órgão regulador.   Fonte: https://valor.globo.com/empresas/noticia/2020/08/07/pfizer-e-gilead-se-unem-para-fabricar-remdesivir-utilizado-no-tratamento-da-covid-19.ghtml...

A Shenzhen Kangtai Biological Products produzirá a potencial vacina para covid-19 da AstraZeneca na China continental, afirmou a farmacêutica britânica, nesta quinta-feira, em seu primeiro acordo para abastecer um dos países mais populosos do mundo. O acordo sublinha a posição avançada da AstraZeneca na corrida mundial por uma vacina eficiente, uma vez que empresas chinesas estão liderando pelo menos oito dos 26 projetos de desenvolvimento de vacina que atualmente estão testando em humanos ao redor do globo. Sob o acordo, a Shenzhen Kangtai, uma das maiores fabricantes de vacinas da China, garantirá que terá capacidade anual de produzir pelo menos 100 milhões...

Em mais um acordo para adquirir vacinas contra o novo coronavírus, os Estados Unidos vão pagar à Johnson & Johnson mais de US$ 1 bilhão por 100 milhões de doses da candidata a imunizante da empresa. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) há 165 imunizações em desenvolvimento, 26 destas em testes com seres humanos e 139 em ensaios iniciais. O país já anunciou compras bilionárias de 7 vacinas em desenvolvimento, entre elas as candidatas da Pfizer e BioNTech e da Sanofi e GSK . À medida que a corrida por imunização e tratamentos para a covid-19 se intensifica, a Casa Branca tem...

O Fundo de Investimento Direto da Rússia (RDIF) anunciou nesta segunda-feira (03/08) que fechou um acordo comercial com as empresas boliviana Sigma Corp, e africana 3Sixty Biopharmaceuticals, para exportar o antiviral Avifavir utilizado no combate contra o novo coronavírus. Segundo a agência de notícias Sputnik, o medicamento será fornecido com um "mínimo de 150 mil unidades" para Argentina, Bolívia, Equador, El Salvador, Honduras, Paraguai e Uruguai através da empresa boliviana. Além disso, a Bolívia receberá a tecnologia necessária para a produção do medicamento final. De acordo com Kirill Dmitriev, diretor-geral do RDIF, os parceiros receberão a tecnologia para cortar os "custos logísticos e os...

O antiviral Avifavir é capaz de acelerar a remoção do coronavírus, segundo médicos russos. De acordo com a agência de notícia Tass, na fase dois e três dos ensaios clínicos, o medicamento eliminou o vírus em mais da metade dos pacientes "e não causou efeitos colaterais sérios". O número de pessoas analisadas não foi divulgado. "A parte piloto de nossos ensaios clínicos randomizados e abertos demonstrou que o Avifavir possui ação antiviral rápida, eliminou o vírus em quatro dias em 62,5% dos pacientes. Em breve, estudaremos como diferentes dosagens influenciam a taxa de recuperação", escreveram os pesquisadores. Em junho, a Rússia autorizou o uso do...