Duas vacinas chinesas já foram aplicada em centenas de milhares de pessoas, a partir de um protocolo de emergência na China, e até agora nenhum dos pacientes apresentou efeito colateral grave nem foi infectado pelo novo coronavírus. É o que afirma uma porta-voz do China National Biotec Group (CNBG), órgão do governo chinês responsável pelo desenvolvimento das vacinas. As informações são do jornal South China Morning Post. “Centenas de milhares de pessoas receberam doses das vacinas, e ninguém mostrou nenhum efeito colateral ou foi infectado pelo vírus”, declarou Zhou Song, secretária da comissão de inspeção da China National Biotec Group, nesta segunda (7), à China...

A desenvolvedora de vacinas americana Novavax anunciou segunda-feira que chegou a um acordo de princípio com o Canadá para fornecer 76 milhões de doses de sua vacina experimental contra o coronavírus ao país. A empresa disse que espera finalizar um acordo para fornecer doses ao Canadá “já no segundo trimestre de 2021”. O acordo depende de a vacina obter uma licença da Health Canada, disse a empresa. As ações da Novavax fecharam mais de 2% em alta. A vacina da empresa, chamada NVX-CoV2373, está atualmente na fase dois de testes. Ele já havia dito que poderia começar os testes de estágio final já em outubro.  “Estamos avançando com...

A alergia a amendoim é um tipo comum de alergia alimentar que ocorre em crianças e adultos. Nessa alergia, seu sistema imunológico identifica as proteínas do amendoim como prejudiciais. Quando você entra em contato com essas proteínas, seu sistema imunológico reage e libera histaminas, que causam uma reação alérgica. Geralmente, as reações alérgicas a amendoim são a causa mais comum de anafilaxia fatal induzida por alimentos, e os grupos de maior risco são os adolescentes com asma. Na verdade, estudos mostram que as pessoas alérgicas a amendoim apresentam maior risco de anafilaxia em comparação a pessoas alérgicas a outros alimentos, como leite...

As farmacêuticas Vir Biotechnology e a GlaxoSmithKline (GSK) deram mais um passo rumo ao tratamento precoce de pacientes com covid-19. As empresas administraram a primeira dose a um paciente em um estudo clínico de fase 2 de 3 do uso de um anticorpo. O estudo vai envolver 1.300 pacientes em todo o mundo para determinar se o anticorpo monoclonal, o VIR-7831, pode evitar as hospitalizações por causa do coronavírus. A expectativa é chegar a resultados até o primeiro trimestre do ano que vem, ainda que vê chances de ter resultados iniciais já no fim deste ano. O tratamento em si é esperado...

Uma das opções tidas como promissoras é a terapia de anticorpos monoclonais (ou mAb, na sigla em inglês), um tipo de tratamento que poderia ser adotado tanto para prevenir a infecção quanto para tratar o paciente, uma vez que a doença tenha se desenvolvido. Todos os projetos de desenvolvimento de anticorpos monoclonais contra a covid-19 ainda estão em fase de estudos, com diversos obstáculos pela frente, como custo, e segurança. O que são os anticorpos monoclonais? Quando nosso corpo detecta a presença de um antígeno, neste caso o vírus Sars-CoV-2, o sistema imunológico produz anticorpos, proteínas destinadas a neutralizar esse antígeno em particular,...

TÓQUIO (Reuters) - A Daiichi Sankyo Co informou nesta segunda-feira que sua candidata a vacina para Covid-19 baseada em RNA mensageiro (mRNA) foi selecionada para inclusão em um programa de descoberta de medicamentos pela Agência Japonesa de Pesquisa e Desenvolvimento Médico. A vacina, conhecida como DS-5670, foi escolhida para a segunda rodada do programa dedicado à pesquisa sobre Covid-19. A Daiichi Sankyo pretende iniciar os estudos clínicos da vacina por volta de março de 2021, em colaboração com a Universidade de Tóquio.   Fonte: https://www.msn.com/pt-br/noticias/mundo/vacina-da-daiichi-sankyo-para-covid-19-%C3%A9-selecionada-por-programa-japon%C3%AAs-de-pesquisa/ar-BB18y6ic?ocid=msedgdhp...

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta quinta-feira (27) que seu país terá uma segunda vacina contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) já disponível no mês de setembro. “Haverá outra vacina pronta em setembro. O medicamento está sendo desenvolvido pelo famoso Instituto Vektor de Novossibirsk [Sibéria]”, disse o mandatário em entrevista à emissora “Rossiya 24”. Ao ser questionado se essa nova imunização competirá com a outra vacina desenvolvida no país, a Sputnik V, Putin afirmou que ambas “competirão entre si” e que tem certeza que essa “será tão eficaz quanto a primeira”. Assim como ocorreu com a Sputnik V, o presidente só informou...

Compostos de medicações que foram usadas durante a epidemia do sars em 2002 podem funcionar também contra a covid-19, segundo um estudo feito pelo Instituto de Pesquisa Médica Walter e Eliza Hall, na Austrália. Os compostos encontrados pelos cientistas conseguiram inibir o vírus da sars, outra variante do coronavírus, e evitar que o SARS-CoV-2 (da covid-19) crescesse em laboratório. Nenhum medicamento específico foi identificado como bloqueador dessa proteína. Os pesquisadores descobriram, ao analisar dados sobre medicamentos, que alguns compostos utilizados na epidemia do coronavírus de 2002 podem bloquear uma proteína chave dos coronavírus, chamada de PLpro — essencial para que o vírus se multiplique em células...

O laboratório do Reino Unido AstraZenec iniciou os testes clínicos de um remédio para prevenir e tratar a covid-19, segundo anunciou nesta terça-feira (25). A farmacêutica também está desenvolvendo uma vacina contra o novo coronavírus em parceria com a Universidade de Oxford. No Reino Unido, 48 voluntários saudáveis, com idades entre 18 e 55 anos, já receberam uma dose do medicamento. Os testes estão na fase 1 e buscam determinar se o remédio é seguro e como o corpo humano responde a ele. O medicamento combina dois tipos de anticorpos e poderia ser utilizado pelas pessoas expostas ao coronavírus e pelas já...

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou neste domingo (23) que a FDA liberou o uso emergencial de plasma de convalescentes no tratamento de pacientes com Covid-19 no país. Embora anunciada com alarde pelo presidente, a liberação deve ampliar o alcance do tratamento, amplamente defendido por Trump, que já foi usado em cerca de 70 mil pessoas nos Estados Unidos. Ele consiste em transfusões de material retirado do sangue de pessoas que já se curaram da doença e têm anticorpos. Isso reduziria a mortalidade em cerca de 35%, segundo estudos iniciais, desde que a aplicação seja realizada precocemente. "Esta é uma terapia poderosa que transfunde...